Registrar Novo Processo

Lista de Processos

Processo: 1711

Manoel Marin Pereira e Waldemar Cunha dizem e requerem: que trabalharam para Alberto Pereira, ganhavam salário de Cr$ 20,00 por dia, que foram despedidos sem justa causa. Pleiteiam o pagamento do aviso prévio, valor de Cr$ 160,00. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas julgar improcedente a presente reclamação.

Processo: 1710

José Antunes Erquy diz e requer o seguinte: que trabalhou para Juvenal Pinto nas obras do Ginásio Gonzaga, foi despedido sem justa causa, ganhava o salário de Cr$ 36,00 por dia, que nunca recebeu domingos e feriados. Pleiteia o pagamento do aviso prévio e de 11 domingos e 2 feriados, total de Cr$ 756,00. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas julgar procedente em parte a presente reclamação. O reclamante recebeu a importância de Cr$ 288,00.

Processo: 1709

Demetrio Honorio de Avila diz e requer: que trabalha para Ladrilhos Brasil Ltda, ganha Cr$ 32,00 por dia, que alegando falta de material a firma suspende o trabalho um dia na semana, que foi descontado o dia que não trabalhou por determinação da firma e, mais, o domingo. Pleiteia o pagamento de 4 domingos que lhe foram descontados indevidamente, totalizando Cr$ 128,00. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas julgar improcedente a presente reclamação.

Processo: 1708

Homero Antonio de Souza diz e requer: que trabalha no curtume Irmão Reis, na seção de tinturaria, com o salário diário de Cr$ 24,00, que foi suspenso sem justa causa, que cumpriu a pena disciplinar, ficando prejudicado no pagamento do domingo, pleiteia a anulação da pena disciplinar e o pagamento dos quatro dias de salário, Cr$ 96,00. Reclamante não compareceu a audiência. Processo arquivado.

Processo: 1707

Zilda Oliveira Macedo diz e requer o seguinte: que trabalhava na Fabrica de sabão e velas CIPIGAL, que recebia Cr$ 15,00 por dia, que faltou durante uma semana o serviço por motivo de doença, no retorno os empregadores recusaram-se a recebe-la, até ser despedida. Pleiteia o pagamento de 17 dias de férias, 8 dias a título de aviso prévio, pagamento de 30 dias de indenização por despedida injusta, pagamento de domingos e feriados, total de Cr$ 1575,00. As partes entraram em acordo, a reclamante recebeu Cr$ 400,00.

Processo: 1706

Etelvino José dos Santos diz e requer: que foi admitido por F. Corrêa & Filhos para o serviço de carpintaria, que recebia Cr$ 50,00 por dia, que foi despedido sem justa causa, que não lhe foi pago o repouso remunerado, que pleiteia a indenização por despedida injusta e mais o pagamento de 3 domingos. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas julgar improcedente a presente reclamação.

Processo: 1705

Vilmar Grunwalt Montelli diz e requer: que trabalha para Antonio Mattos, ganha salário de Cr$ 35,00 por dia, que nunca recebeu repouso remunerado, que pleiteia o pagamento, não podendo precisar o valor, visto haver faltado alguns dias. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas julgar improcedente a presente reclamação.

Processo: 1704

Osmar Gomes de Souza diz e requer o seguinte: que trabalha para Carlos R. de Souza, ganhava Cr$ 500,00 mensais, que foi despedido sem justa causa e sem pagamento dos dias que trabalhou, pleiteia o pagamento do aviso-prévio e de 16 dias de salário, total de Cr$ 766,60. O reclamante não compareceu a audiência. Processo Arquivado.

Processo: 1703

Almerinda Saraiva José diz e requer o seguinte: que trabalhava para Curtume Livramento de Peles Ltda, ganhava Cr$ 13,00 por dia, que adoeceu e por esse motivo faltou ao trabalho, que a empregadora nega-se a pagar o salário-enfermidade, vem pleitear o referido pagamento, no valor de Cr$ 130,00. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas julgar procedente a presente reclamação.

Processo: 1702

Daurilio Julio Pererira diz e requer o seguinte: que trabalhou para Felisberto Peres, que ganhava Cr$ 16,00 por dia, que foi despedido sem justa causa e pleiteia o pagamento do aviso-prévio e férias. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas julgar improcedente a presente reclamação.

Processo: 1701

Florival Longchamp, Prudêncio Gomes da Silva e Dalberto Tolentino da Silva dizem e requerem o seguinte: Que trabalham na confeitaria confiança, recebem respectivamente por dia Cr$ 24,40, Cr$22,50 e Cr$ 25,00. Pleiteiam receber as diferenças de salário que não lhes vêm sendo pagas, totalizando Cr$ 790,00. As partes entraram em acordo.

Processo: 1700

João da Silva diz e requer: Que trabalhou para Jeronimo Ramos, ganhava o salário de Cr$ 50,00 por dia, que não recebeu os salários correspondentes a duas semanas, vem pleitear o pagamento de Cr$ 600,00. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas julgar procedente a presente reclamação.

Processo: 1699

Osmar Alves de Castro Peixoto diz e requer: Que trabalhou na Cia Industria Linheiras S.A., que foi despedido sem justa causa, que trabalhou mais de um ano, trabalhava na carteira de expedição, salário de Cr$ 900,00, que não recebeu férias e o salário do mês de abril; pleiteia pagamento do aviso prévio, indenização, um período de férias, domingos desde 14 de janeiro de 1949, salário do mês de abril até o dia 6. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas julgar improcedente o pedido do reclamante.

Processo: 1698

João Batista Seus, Pedro Lemos, Idemar dos Santos e Dalmiro Gonçalves dizem e requerem: Que trabalhavam na fazenda São Leopoldo, de propriedade da S.A. Frigorífico Anglo, que foram despedidos sem justa causa, que recebiam Cr$ 2,50 por hora, que não recebiam remuneração aos domingos e os salários dos feriados, o primeiro reclamante tem duas férias atrasadas, os demais apenas um período, que pleiteiam todos os pagamentos do aviso prévio, Cr$ 600,00 para cada um, Cr$ 600,00 relativo a domingos e feriados, pagamento das férias. As partes entraram em acordo.

Processo: 1697

Daniel Corrêa de Souza, diz e requer: que trabalhou para Orlando Fonseca, que ganhava salário de Cr$ 25,00 por dia, que foi despedido sem justa causa, vem pleitear o pagamento do aviso-prévio, indenização e 1 período de férias que tem direito, total de Cr$ 3.825,00. Reclamante não compareceu, processo foi arquivado.

Processo: 1696

Dorival Santos da Silva, diz e requer: Que trabalhava no engenho da firma Luís Lores & Cia. Ltda., que a firma não lhe repassava trabalho, que foi informado que não havia mais serviço, sendo assim, foi despedido, vem pleitear o pagamento de oito dias de salário, Cr$ 24,00 por dia. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas, julgar procedente a presente reclamação, condenando a reclamada a pagar o valor de Cr$ 192,00.

Processo: 1695

Osvaldo Carpena requer a homologação do pedido de demissão de seu empregado, Antonio Martins. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas, homologar o pedido de demissão.

Processo: 1694

Ondina Francisca de Oliveira Pereira diz e requer: que trabalha para Juvêncio Antônio de Souza, que ganha seu salário por peça, recebendo em média Cr$ 20,00 por dia, que nunca foi pago repouso remunerado, vem pleitear o pagamento de domingos e feriados, total de Cr$ 1.700,00. Ambos entraram em acordo.

Processo: 1693

Tadeu Vaz diz e requer: Que foi admitido para trabalhar para Antenor Gonzalez de porteiro, trabalhava no horário noturno, ganhava salário de Cr$ 250,00, inclusive refeições, que foi despedido pelo simples fato de haver se negado a trabalhar no dia correspondente a sua folga, que vem pleitear o pagamento do aviso-prévio, 1 dia de trabalho, correspondente a folga semanal e horas extras, total de Cr$ 1.333,60. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas, julgar procedente em parte a presente reclamação, condenando o reclamado a pagar Cr$ 252,00.

Processo: 1692

Ricardo Buss, diz e requer: que trabalhou para Willy Hackbart, que ganhava um salário de Cr$300,00 mensais; que foi despedi sem justa causa, pelo que vem pleitear o pagamento do aviso-prévio, na base de trinta dias de salário. O reclamante não compareceu a audiência. Processo arquivado.