Registrar Novo Processo

Lista de Processos

Processo: 1688

Benigno Othero Blanco alega que trabalhou para o reclamado Aires Seixas de 28 9 até 2 12 1950, ganhava o salário de Cr$ -40,00 por dia pagos por semana, diz que foi despedido sem justa causa, pelo que, vem pleitear o pagamento do aviso-prévio e dois domingos que não lhe foram pagos, tudo num total de Cr$--400,00, no dia 3 de janeiro do ano 1951, não comparecendo o sr Benigno Othero Blanco, para o julgamento da reclamação, foi pelo presidente mandado arquivar a reclamação.

Processo: 1687

Marieta Garcia alega que trabalhou para o reclamado sr Raul Silveira, do dia 26 11 até 2 12 1950, que seu salário foi ajustado em Cr$ 250,00, e ao despedir-se da firma, não lhe foram pagos os sal´rios dos dias em que trabalhou, e assim vem pleitear o referido pagamento no valor de Cr$ 50,00, aos 27 dias do mês de Janeiro de 1951 a junta de conciliação julga improcedente a presente reclamação, pois a reclamante deixou o serviço sem dar aviso prévio.

Processo: 1686

O requerente Valentim Rodrigues, foi admitido na Cerâmica Pelotense S/A, em 1 de agosto de 1948; foi despedido, sem justa causa, em 15 de dezembro corrente; percebia salário por tarefa Cr$ 58,00 a 60,00 por dia, requer o pagamento de indenização por despedida injusta na base de sessenta dias de salários num total de Cr$ 4080,00. Em audiência do dia 22 de janeiro de 1951, apos ser ouvidas testemunhas da pare reclamante e reclamada foi considerada improcedente o pedido aos autos por se provar insubordinação da parte reclamada.

Processo: 1685

O reclamante sr Idalino da Silva Furtado foi admitido para trabalhar para o construtor Lobo Valente de Almeida, com salário de Cr$ 22,00 por dia em 12 de julho de 1946, que, enfermo procurou o Instituto dos Industriários, obtendo o auxílio necessário; para tanto o requerente foi considerado como afastado do serviço em 29 de agosto , e o benefício começará a vigorar 15 dias depois, no dia 14 de setembro;que pela legislação trabalhista, o empregador terá de pagar os 15 primeiros dias de afastamento( salário enfermidade, como é chamado) na base de 2/3 dos salários, o que da um total de Cr$ 220,00 para o pedido.Ao dia 15 de dezembro de 1950 em audiência de conciliação as partes entraram em acordo, sendo pago o salário enfermidade e o benefício de justiça gratuita ao reclamante.

Processo: 1684

Marieta Garcia que trabalhou para o reclamado Raul Silveira proprietário na Churrascaria Imperial, de 26/11 até 2/12/1950, seu salario foi ajustado em Cr$ 250, mensais, e ao despedir-se da firma, não lhe pago os salários dos dias em que trabalhou, e vem pleitear o referido pagamento no valor de Cr$ 50,00.

Processo: 1682

Mariano Pacheco diz e requer o seguinte: que há seis ou sete meses foi admitido para trabalhar na empresa Vila Balneária Sto. Antonio recebendo o ordenado mensalmente e no dia sete do corrente mês a empresa avisou que o reclamante passaria a perceber o salário diário; dessa forma, desde que começou a trabalhar , fez mais de oito horas por dia, sem perceber pagamento pelo serviço extra. Em face do exposto e com fundamento na CLT, pleiteia o pagamento do aviso prévio e o pagamento das horas extras.

Processo: 1681

Darcy Pinto Peres diz e requer que trabalhou para a firma reclamada, F. Correa & Filhos, durante dois períodos e que dia 7 do corrente foi por motivos ignorados, agredido e ofendido por um dos sócios. Em face do exposto, considerou recindido o seu contrato de trabalho, por tornar-se impossível a sua permanência no trabalho, pois estaria sujeito a novas agressões e vexames diate de seus colegas de trabalho. Pleiteia pagamento de indenizações e aviso-prévio,

Processo: 1674

Adão Amaro Souza, menor, assistido por seu pai , diz e requer que trabalhou para a firma reclamada Xavier Irmão & cia. de 22.08.49 até 05.12.50, quando foi sem motivo justo despedido. Considerando injusta sua despedida vem pleitear o pagamento do aviso-prévio e indenização a que tem direito.

Processo: 1680

Leda Ribeiro dos Santos, diz e requer o seguinte: que trabalhou para Plinio Tamagnone de 1/4/49 até 11/12/50, quando foi despedida sem justa causa; Que ganhava o salário de Cr$ 250,00 mensal; Considerando injusta sua despedida, vem pleitear o pagamento da indenização, aviso prévio, 1 período de férias e salários correspondentes a 11 dias, total de Cr$ 1009,00. A reclamante não compareceu a audiência. Processo arquivado.

Processo: 1673

Ivan Lucas, menor assistido por sua mãe, diz e requer que trabalhou para o reclamado Edgar Trapaga Ferreira, na reforma de um prédio de sua propriedade cerca de quatro meses e que ganhava o salário de Cr$ 15,00 por dia, pagos por semana. Dia 18 do corrente, foi despedido sem justa causa e vem pela presente pleitear o pagamento do aviso-prévio.

Processo: 1679

Waldomiro Grissel, diz e requer o seguinte: Que trabalhou para Fetter & Cia de 15/04 até 7/12/50, quando foi despedido; Que ganhava o salário de Cr$ 24,00 por dia; Que, considerando injusta sua despedida, pleiteia o pagamento do aviso-prévio, total de Cr$ 192,00. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas, julgar improcedente a presente reclamação.

Processo: 1678

Geraldo Martins Viana e João Ribeiro Neto, dizem e requerem o seguinte: Que trabalharam durante 6 meses no engenho Santa Inácia; Que o salário era de Cr$ 24,00 por dia; Que as vezes trabalhavam meio dia por conveniência e determinação da empresa; Que pleiteiam o pagamento dos meio dias que não trabalharam por determinação da empresa, calculando sete dias para cada um. Os reclamantes a a reclamada entraram em acordo, cada reclamante recebeu Cr$ 72,00.

Processo: 1677

Genei Silveira, diz e requer o seguinte: Que trabalhava com o construtor Álvaro Vilar; Que exercia a função de pedreiro, com salário de Cr$ 35,00 por dia; Que foi despedido sem justa causa; Que não lhe foram pagos os domingos e feriados; Que pleiteia o aviso prévio. Reclamante não compareceu a audiência. Processo arquivado.

Processo: 1676

Vergínio Rodrigues Sodré, menor, assistido por sua mãe Márcia Rodrigues Sodré, dia e requer o seguinte: Que trabalhou, na Stur Ltda., de 11/02/1949 até 12/03/1950, data em que foi despedido sem justa causa; Que exercia a função de cobrador, com o salário de Cr$ 1,75 por hora; Que não gozou, nem lhe foram pagas as férias; Pleiteia o pagamento da indenização por despedida injusta, Cr$ 420,00; aviso prévio, Cr$ 420,00; 22 dias de férias, Cr$ 308,00. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas, julgar procedente a presente reclamação.

Processo: 1672

Roberto Caetano, menor, assistido por sua mãe, diz e requer que trabalhou para o reclamado Rosalvo Bandeira de abril de 1949 até 22.08.50 e que ganhava o salário de CR$ 8,00 por dia, pagos por semana. Foi despedido sem justa causa, pelo que vem pleitear o pagamento do aviso -prévio, indenização, um período de férias e 1 1/2 dia de salários que não lhe foram pagos.

Processo: 1675

Vergínio Rodrigues Sodré, menor, assistido por sua mãe Márcia Rodrigues Sodré, dia e requer o seguinte: Que há dias ajuizou reclamação contra a Stur Ltda., pleiteando férias, indenização por despedida injusta e aviso prévio, tendo sido ela julgada procedente por essa mesma junta; Que, entretanto, não pediu o pagamento dos últimos dias de trabalho, inclusive horas extras, no total de CR$ 190,60, porque julgou que a empregadora não negasse o pagamento. O reclamante pediu baixa do processo, pois declarou ter recebido os salários pleiteados.

Processo: 1671

Alcides Pereira Fernandes, diz e requer: que trabalha na reclamada Cia. Fiação e Tecidos Pelotense desde 1924; que ganha o salário por peça, perfazendo em média CR$ 50,00 diários e foi suspenso sem justa causa por 15 dias. Considerando injusta essa penalidade, vem pleitear a revelação da mesma e o pagamento dos dias em que esteve sem trabalhar.

Processo: 1670

Waldemar Pereira de Souza, menor, assistido por seu pai Orlando Farias de Souza, diz e requer o seguinte: Que era empregado da Padaria Pelotas; Que entrou para o serviço do empregador em fevereiro de 1946 e não em 1 de outubro de 1974, conforme registrado em carteira; Que no dia 04/02/1950 foi despedido sem justa causa; Que tem direito a férias e a 4 dias de salário que não foram pagos; Que recebia mensalmente Cr$ 500,00; Pleiteia: indenização por despedida sem justa causa, aviso prévio, férias, salários atrasados, total Cr$2.816,70. Resolve a Junta de Conciliação e Julgamento de Pelotas, julgar procedente em parte a presente reclamação, condenando a reclamada a pagar ao reclamante a importância de Cr$ 40,00, relativa a salários. O reclamante recorreu da decisão. O Tribunal Regional do Trabalho manteve a decisão de primeira instância.

Processo: 1668

Eivaninva Torres da Silva, diz e requer o seguinte: que, trabalhou para a reclamada, de 25-2-1949 até 9-1-1950; que, ganhava o salário de Cr$300,00 mensais; que, foi despedida sem motivo justo; que, nega-se a sua empregadora a pagar-lhe os dias que trabalhou; que, vem pleitear o pagamento do aviso-prévio e dos dias de trabalho que não lhe foram pagos, num total de Cr$430,00. Houve acordo entre as partes envolvidas no processo.

Processo: 1669

Francisco Machado, diz e requer o seguinte: Que trabalhou para Ferreira Borges & Filhos de 13/04 até fins de dezembro de 49; Que ganhava o salário de Cr$ 18,00 por dia, pagos semanalmente; Que foi despedido sem justa causa,vem pleitear o pagamento do aviso-prévio, no valor de Cr$ 144,00. Proposta conciliação, o reclamado pagou a importância de Cr$ 75,00.